COM A PALAVRA O ENXADRISTA

    Esse espaço criado por Rafael Ferreira, pretende dar oportunidade a qualquer pessoa, que contribui direta ou indiretamente com o xadrez alagoano, para dar sua definição ao nosso xadrez, sugerir novas medidas e idéias e por que não críticas construtivas, para assim fazer o nosso xadrez crescer ainda mais.
     



    BLOG> Qual Definição, Sugestões e Críticas ao xadrez alagoano no momento?
    RAFAEL FERREIRA> Bem me sinto a vontade, porque faço parte dessa história desde 1999, para definir como um grande momento, crescente e com excelentes perspectivas, haja vista grandes conquistas técnicas, de competições, organizações, como também pessoais,...Chegamos às Escolas Públicas e Particulares, Nosso xadrez se massificou, foi levado à periferia pelo nosso amante da Arte de Caissa Sr. Yuri Miranda, levamos mais de 500 garotos para competições fora do estado, desenvolvemos núcleos, diminuimos o estigma de esporte de elite. Quanto às Sugestões, gostaria de ver maior divulgaçõa nas Escolas, nas TVs, nos bairros com competições descentralizadas, Algumas de minhas sugestões já foram estudadas pelo Pres. da FEXEAL; e quanto às Críticas eu até reconheço que sou um dos que mais critica e às vezes pareço chato e incoveniente, mais desde já além de criticar sempre me coloquei à disposição para cooperar e fazer alguma coisa como fiz nesses anos todos, bem como críticas, eu me refiro a não estarmos federados ainda à CBX, pois já falei pessoalmente com GM Darcy Lima em 2001 em Recife, então presidente da CBX e com AI Pablyto Robert Pres. da CBX em 2009 em Salvador, e eles não viram dificuldade para ainda não estarmos federados, mesmo quando estive na presidência da Fexeal em 2008 por um ano, tentei resolver questões cartoriais junto com o Yuri Miranda que muito me ajudou para isso e esbarramos em questões estatutárias e de Leis vigentes naquele ano, outra crítica é em relação às pessoas que não se dispoem a ajudar nosso xadrez, são pessoas que jogam somente e às vezes fazem parte de alguma diretoria e no meio do caminho abandonam o barco e não fazem as atividades a elas designadas isso acontece desde 2001, pois lamentavelmente temos uma idéia de que o presidente tem que fazer tudo, e uma das mais importantes críticas e que resolveria nosso maior problema que é o financeiro, regularizar de uma vez por toda nossa federação junto ao estado nas questões cartoriais e estatutárias. Estou aberto às réplicas e a aos questionamentos referentes às minhas críticas.

     OBSERVAÇÃO: As opiniões foram copiadas e coladas sem nenhuma alteração e/ou correção gramatical, sendo de inteira reponsabilidade de quem as emitiu, que previamente ao receber nosso email já aceitou as condições expostas.


    Yuri Miranda
    >O XADREZ ALAGOANO NOS ÚLTIMOS DEZ ANOS

    Momento do xadrez e a evolução

    Podemos falar do xadrez de Alagoas com uma boa expectativa, acredito que estamos caminhando no para sua sedimentação na cultura de nosso estado.
    Sou filho de enxadrista e lembro-me das histórias da época do meu pai, pelos anos de 1940, quando jovem ele freqüentava o clube de xadrez junto com outros militantes comunistas e intelectuais da época. Na década de 1970, muitos alagoanos se destacaram nacionalmente jogando xadrez, os irmãos Ticianelli. Novamente militantes comunistas como Tomaz Beltrão, Ediberto Ticianelli o sindicalista Sergio Barroso, entre outros.

    Entre estas boas fases vinham às ressacas, restrito a poucas pessoas, muitos paravam de jogar por motivos diversos e os clubes de xadrez não se mantinham por muito tempo.

    Nos últimos 10 anos o xadrez tomou um novo rumo, diante dos graves problemas sociais de nossa terra e de uma perspectiva da sua aplicação mais ampla, não apenas como entretenimento de uma elite, particularmente, de esquerda, passou a ser visto como um instrumento para ajudar na socialização e no desenvolvimento humano.

    A partir de trabalhos voluntários houve a busca da inserção do xadrez em comunidades, instituições e escolas públicas, dando uma dimensão bem maior ao xadrez, que deixa de ser próprio de uma elite. As mobilizações com o envolvimento de muitas crianças (cerca de quinhentas) e os resultados em competições escolares e nos circuitos desportivos em geral, impressionaram as autoridades e a sociedade em geral. Logo o forte apelo causado pela mídia local e até reportagens nacionais tratando do papel do xadrez, reforçou a necessidade de impulsionar ainda mais para a sua implantação, chegando à rede privada de ensino.

    Hoje existe uma conjuntura mais favorável a sua consolidação, cada vez mais projetos e ações por todo o país indicam este novo panorama, precisamos aproveitar e ocupar os espaços vazios para construir o nosso momento, dos amantes deste magnífico jogo.

    PROPOSTAS

    Aproximar a federação das escolas e instituições que possuem ações de Xadrez.
    Realizar seminários e discussões sobre o Xadrez
    Manter ações e movimentações que motivem o Xadrez
    Profissionalizar nossas atividades
    Buscar a auto-sustentabilidade do xadrez
    Capacitar os quadros da federação para realizar projetos

    CRITICAS

    É necessário maior envolvimento dos interessados na organização do xadrez

    Descentralizar as ações

    Capacitar os envolvidos


    Phillipe André
    >Acho que esses anos o xadrez se desenvolveu muito no estado, porem ainda acho insuficiente para que o xadrez tenha o espaço que desejamos. Tenho alguns pontos que acho que devemos melhorar, porem não vou dizer que é culpa de alguem ou reclamar, pois sei que todos temos nossos compromissos e também não estou disposto realizar tais mudanças, apenas posso ajudar no que me for possível.
    Uma dessas causas é ainda a não regularização da federação, sabemos que o presidente da CBX precisava apenas dos documentos para regulariza-la, e bastava envia-los, isso foi comentado algumas vezes no clube e não vi ninguem nada ser feito desde meados do ano passado até hoje, e muito menos ouvi alguem dizer porque isso ainda não foi feito.
    Outro ponto é a falta de um esquema de divulgação da federação e do xadrez, acho que a federação deveria ter um esquema de divulgação, um projeto, ou alguma política para isso, os torneios do clube de nada adiantarão sem uma divulgação mais forte principalmente nos bairros e na TV, que com certeza cederia espaço para reportagens. Alem disso, a federação deveria ter outra política de arrecadação de verba, como a busca de patrocínios e projetos sociais. Ela precisa aparecer, reforço que EU não teria conhecido o xadrez do estado se não tivesse visto os torneios na praça vera arruda, e garanto que como eu podem ter muitos outros jogadores que desconhecem a prática do esporte no estado. Tenho certeza que com mais divulgação isso pode ser mudado, a variação de eventos também pode ajudar como torneio em alguns bairros podem ajudar na divulgação.
    Outra coisa que incomoda é a falta de divulgação de torneios, eles deveriam ser divulgados com antecedência para evitar o que houve com o alagoano do ano passado e inclusive evitar a não realização de certos torneios como o alagoano feminino.
    Sei que esse ano as coisas vão melhorar, principalmente pois um calendário foi adotado, espero que ele siga corretamente e haja uma boa divulgação de todos os torneios, pois em minha opinião a falta de divulgação (não só na divulgação para quem já conhece o jogo, mas na apresentação dele para os que não conhecem e tentar buscar novos joadores) do xadrez estadual.


    Jayme Miranda
    XADREZ ALAGOANO NOS ÚLTIMOS 10 ANOS (Jayme Miranda)
    O nosso xadrez evoluiu bastante nessa década devido o atual presidente da Federação Alagoana de xadrez Yuri Patrice Rocha de Miranda, através do seu trabalho social e amor motivou alguns enxadristas a se desenvolverem no jogo e na vida. Acredito que a historia do nosso xadrez tenha sido destruída por uma elite, que visava simplesmente o seu ego de ganhar as partidas sem transmitir o conhecimento para as gerações futuras. O campeonato Alagoano Absoluto começou a ser disputado em 2002 e só temos notícias de um campeonato de 1978. Um enorme buraco na historia que foi perdida por enxadristas egoístas e irresponsáveis. O momento do xadrez alagoano é excelente, com vários jogadores com rating FIDE mais nenhum Mestre FIDE. Alguns jogadores respeitados no xadrez Nacional e uma Academia Alagoana de xadrez com toda a estrutura para a prática e estudo. A batalha sempre foi dura para conseguir patrocínios e apoios para as viagens de alagoanos em competições. Outros enxadristas que contribuíram para o xadrez Alagoano foram Seu Messias e Seu Nilo que infelizmente não se encontram entre nós.
    Críticas:
    Os enxadristas jovens devem freqüentar a academia, mas também estudar xadrez em casa.
    Os jogadores não estão pagando a academia de xadrez em dia.